Saem as agulhas de tricô, entram mouse e tablets

© 2016 Locomotiva

Saem as agulhas de tricô, entram mouse e tablets

9.11.2016

Foi-se o tempo que a terceira idade não surfava na web. Elas vem acessando a rede e movimentando R$ 7,1 bilhões

 

A ideia de que a internet é um ambiente exclusivo para os jovens está ficando para trás. Estudando, vendo notícias ou interagindo nas redes sociais, cada vez mais os integrantes da terceira idade vêm ocupando espaços online. Só em Pernambuco, são 147 mil pessoas com mais de 60 anos acessando a internet, de acordo com dados do Instituto de Pesquisa Locomotiva. Juntas, movimentam R$ 7,1 bilhões. No ranking nacional de idosos internautas, o estado ocupa a oitava posição.

E os números não param de surpreender. Em oito anos, o total das pessoas da terceira idade acessando a internet aumentou 940%, o que equivale a 4,8 milhões de novos usuários. O perfil deles é bem variado. Ainda de acordo com o Instituto Locomotiva, o interesse dos idosos pelo mundo virtual cresceu de forma equilibrada entre os gêneros masculino e feminino, já que metade dos homens e das mulheres têm acesso à rede. A pesquisa mostra que 51% deles têm entre 60 e 64 anos, 27%, entre 65 a 69 anos e, 22%, acima de 70 anos. Além disso, a maioria dos idosos internautas é das classes A e B (76%), e 39% possui ensino superior ou médio.

De acordo com Renato Meirelles, fundador do Instituto de Pesquisa Locomotiva, é como se a internet estivesse trazendo uma espécie de emancipação aos idosos brasileiros. “Eles estão se relacionando mais, seja com a família ou amigos de infância”, comenta. “Estando online, conseguem continuar aprendendo, se informando e tendo a possibilidade de se conectar com o resto do mundo”, diz. Hoje, o microcomputador é o principal meio de acesso dos idosos à internet (92%).

A pensionista do Exército e dona de casa Maria Inês Pinheiro, 66, está sempre conectada. Há cerca de dez anos, com a ajuda de um conhecido, ela aprendeu o básico sobre a internet. Em sua casa havia notebook e computador, porque a filha dela usava. Mas quando aprendeu e entrou nas redes sociais, comprou um notebook para uso próprio. Hoje, ela utiliza e-mail, Facebook e Twitter. “Vou comprar um celular novo para voltar a usar o WhatsApp e começar a usar o Instagram, porque o meu está ruim”, comenta.

Ela conta que geralmente passa uma hora ou uma hora e meia na internet diariamente. “Tenho que dividir o tempo entre meus afazeres”. A rede social que mais utiliza é o Facebook, para conversar com a família, brincar e até acompanhar os ídolos. Ela é uma torcedora fiel do Sport Club do Recife e tem vários jogadores adicionados. Além das redes sociais, utiliza a internet para acessar o banco e realizar pagamentos, o que facilitou a sua vida.

Depois que começou a utilizar a internet com frequência, Maria Inês conta que viu alguns aspectos melhorarem em sua vida. A sua memória, por exemplo, melhorou. Quem também agradece pela entrada da internet em sua vida é a aposentada Greice Azevedo de Freitas, 67. Há cerca de quatro anos ela navegava pelo computador de sua filha. Mas ganhou um celular melhor, e, a partir daí, não soltou mais.

Greice utiliza o Facebook, Instagram, YouTube, WhatsApp, Netflix, e-mail e alguns jogos. Além disso, também paga suas contas pelo aplicativo do banco. “É uma companhia para mim. Moro sozinha, mas sempre me sinto acompanhada”. Sempre está falando com os filhos e amigos. Ela conta que passa cerca de 10 horas do seu dia com o celular por perto, sempre dando uma olhada em alguma coisa.  

Curso
Percebendo o interesse da terceira idade pela era tecnológica, o Senac-PE resolveu investir em cursos destinados especialmente a esse público. Há cerca de oito anos, foi criado o curso de Informática para a Terceira Idade. Dois anos depois, passou a ofertar também o de Internet para a Boa Idade. Desde então, esse nicho de mercado só cresceu, e ainda há expectativas de investimento na área.

O curso é o considerado mais completo. O aluno sai de lá com noções de Introdução ao Processamento de Dados, sistema Windows, Word, Power Point e internet. “Além de ter um conteúdo grande, há mais tempo para aprender”, comenta João Lobo, instrutor do curso de Informática para a Terceira Idade do Senac-PE. O curso tem carga horária 66 horas, com aulas de segunda a sexta, e o investimento é de R$ 480.

 

Leia a matéria completa em:

https://goo.gl/mUJLBf

Please reload

Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter ícone social
  • slideshare
  • YouTube ícone social