LABS NEWS: 34 milhões de brasileiros não têm acesso a serviços bancários



Se por um lado o Brasil começa a implantar seu modelo de open banking, o que significa um sopro de inovação e inclusão financeira por meio da digitalização, por outro lado o país ainda tem 34 milhões de brasileiros com acesso precário ao sistema bancário – o equivalente a 21% da população que movimenta aproximadamente R$ 347 bilhões ao ano.


As informações são de pesquisa do Instituto Locomotiva a partir de dados coletados em janeiro. São 16,3 milhões de pessoas desbancarizadas, ou seja, sem conta em banco; e outras 17,7 milhões sub-bancarizadas, ou seja, que utilizam pouco ou não têm acesso aos produtos e serviços disponíveis no mercado. No mesmo período em 2020, a proporção de desbancarizados e sub-bancarizados era de 29%.


De acordo com Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva, o open banking poderá impactar positivamente esse cenário, mas o sistema bancário precisa antes resolver um outro desafio – e a resposta certa vale alguns bilhões.


“Ainda não está claro como o open banking vai acontecer no Brasil nem sua abrangência. Mas há um desafio anterior ao sistema bancário, que é o de incorporar esse contingente formidável dos não bancarizados. São 16 milhões de brasileiros. Como? A resposta vale R$ 173 bilhões, que é o quanto essa parcela da população movimenta por ano, ou 4% da massa de renda que circula no mercado”, diz.


A pesquisa mostra ainda que 79% dos brasileiros (127,4 milhões de pessoas) são bancarizadas e movimentaram a conta no último mês. Entre a parcela que não possuí conta em banco, 44% afirma não querer ou não precisar do serviço, e 40% afirma não possuir renda ou estar negativado.


Clique aqui para ler a matéria completa.

Clique aqui para ler a matéria em ingles.

Recentes
Arquivo