Valor Econômico: Novas faces da negritude

Reportagem do jornal Valor Econômico mostra que outras formas de abordagem da questão racial no Brasil ganham força, e os seus resultados já podem ser sentidos na luta contra a desigualdade.


A matéria usa uma pesquisa do Instituto Locomotiva para ilustrar o tamanho do avanço nessa causa: o tempo médio de estudo dos negros passou de 5,9 anos, em 2002, para 8,6 anos em 2015, um salto de 35%.


Além disso, as pessoas negras formam um mercado consumidor que movimenta ao ano mais de R$ 1,6 trilhão, o que mostra como diferentes áreas, como o mercado de trabalho, são fundamentais para a promoção da igualdade racial.


Leia a matéria completa

Recentes
Arquivo

© 2016 Locomotiva

  • Facebook Social Icon
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter ícone social
  • slideshare
  • YouTube ícone social